Hoje, a Adobe anunciou seus planos de parar de oferecer suporte ao Flash no final de 2020.

Por 20 anos, o Flash ajudou a moldar a maneira como você joga, assiste a vídeos e executa aplicativos na Web. Mas, nos últimos anos, o Flash se tornou menos comum. Três anos atrás, 80% dos usuários de desktops do Chrome visitavam um site com o Flash todos os dias. Hoje, o uso é de apenas 17% e continua em declínio.

Essa tendência revela que os sites estão migrando para tecnologias abertas da Web, que são mais rápidas e mais eficientes em termos de energia que o Flash. Eles também são mais seguros, para que você possa estar mais seguro ao fazer compras, fazer transações bancárias ou ler documentos confidenciais. Eles também funcionam em dispositivos móveis e computadores, para que você possa visitar seu site favorito em qualquer lugar.

Essas tecnologias da Web aberta se tornaram a experiência padrão do Chrome no final do ano passado, quando os sites começaram a precisar pedir sua permissão para executar o Flash. O Chrome continuará desativando o Flash nos próximos anos, primeiro solicitando sua permissão para executar o Flash em mais situações e, eventualmente, desativando-o por padrão. Removeremos o Flash completamente do Chrome até o final de 2020.

Se você visita regularmente um site que usa o Flash hoje, pode estar se perguntando como isso afeta você. Se o site migrar para padrões da web abertos, você não deve notar muita diferença, exceto que não verá mais avisos para executar o Flash nesse site. Se o site continuar usando o Flash e você der permissão ao site para executar o Flash, ele funcionará até o final de 2020.

Foi preciso muito trabalho com a Adobe, outros navegadores e principais editores para garantir que a Web esteja pronta para ser livre de Flash. Hoje apoiamos o anúncio da Adobe e esperamos trabalhar com todos para tornar a Web ainda melhor.

Fonte: Blog Google



Sabado, Julho 11, 2020

Voltar